Como ser um tradutor?


Olá! Meu nome é Lui.

Trabalho como Tradutor Freelancer online desde 2009. Talvez por ser uma área profissional com características bem peculiares e pouco comuns, isso desperte a curiosidade nas pessoas. Então, muitas pessoas me perguntam: “Lui, como ser um tradutor?”

Existem vários caminhos. No meu caso, comecei através de sites de freelance jobs – na verdade, até hoje uso esses sites diariamente para encontrar clientes novos. Outras pessoas fazem propaganda dos seus serviços através do Facebook, para amigos. Existem também aqueles tradutores que abrem agências de tradução, atraindo grandes clientes do mundo todo. Então, quando me perguntam “como ser um tradutor”, a minha resposta é “depende do seu estilo e do seu objetivo”.

Independentemente, o legal de ser um tradutor freelancer é justamente poder escolher com quem e quanto você deseja trabalhar, além de poder fazer os próprios horários e trabalhar de onde tiver acesso à internet. Por ter essa liberdade, tenho tempo de estudar assuntos que eu gosto, ouvir minhas músicas e podcasts, passear com a Khaleesi e viajar. Além disso, trabalho com o que o gosto.

Eu e Khaleesi depois de uma corrida.

É claro que isso não significa que seja um trabalho fácil. Mas amo o que faço e meu trabalho me trouxe oportunidades que eu jamais teria se tivesse limitado à minha cidade ou ao meu país. Com isso, já trabalhei em alguns lugares inusitados.

Office #46.

What about English lessons?

Sim, eu já lecionei aulas de inglês. Gosto muito de ensinar. E se você, bilíngue, que se interessou por esse artigo, provavelmente já deve ter lecionado inglês em algum ponto da sua vida. Na verdade, acho que todos meus amigos que falam inglês já deram aulas particulares ou em escolas de idiomas.

Porém, convenhamos: lecionar não é para todos. Ser bilíngue não significa que você está preparado para ensinar um idioma estrangeiro. Ser bilíngue não significa que você está pronto para traduzir textos de inglês para o português e – muito menos – do português para o inglês. Como dizia um amigo maluco lá de Belo Horizonte: “Ser bilíngue não significa que você é bilíngue”. A frase mostra como esse indivíduo é perturbado! Mas, faz sentido…

Anyway… Eu gostava de lecionar inglês. É muito gratificante ter um aluno que chega na escola sem saber falar “hello”, completamente travado de vergonha e ver esse mesmo aluno se comunicar tranquilamente menos de um ano depois. Eu gostava tanto disso que dei aulas particulares e personalizadas durante anos e até cheguei a me tornar coordenador pedagógico de uma escola onde lecionei.

Teaching English.

However… Lecionar inglês em um local físico e pode não se encaixar com o estilo de vida de um tradutor freelancer. Você precisa estar lá, às terças e quintas, das 19:00 às 20:00.

Então, nem todos os freelancers gostam dessa limitação física. Grande parte da minha renda vem da tradução, mas gosto muito de lecionar inglês e continuo lecionando até hoje. Porém, hoje não trabalho mais em escolas de idiomas, e sou também um “freelance English teacher”.

Trabalho de qualquer lugar que tenha internet.

Outro ponto crucial é o trânsito e o tempo de preparo para as aulas. Na minha mente, pegar trânsito para trabalhar é semelhante a pagar para trabalhar. Então, isso deve ser considerado caso tenha interesse em lecionar inglês.

(Sim, você pode lecionar aulas de inglês online, sem pegar trânsito. Isso tem vantagens e desvantagens.)

Como você começou a traduzir?

Eu já trabalhava com tradução desde 2009. Comecei com os famosos abstracts (sei que muitos de vocês traduzem abstracts entre uma aula de inglês e outra) e ocasionais jobs de interpretação. Tudo era feito através de conhecidos e eventualmente usando o Facebook para facilitar a comunicação com os clientes (na era pré-WhatsApp). Extra cash, but no big deal.

No começo de 2012 eu já ganhava uma boa parte da minha renda através da tradução, mas ainda mantinha empregos fixos com carteira assinada. Entretanto, resolvi oferecer meus serviços de maneira mais formal através da internet, criando um site e fazendo perfis em sites de freelance jobs. Eu não podia imaginar que isso seria o primeiro passo para eu me tornar um tradutor freelancer full-time em pouco tempo.

Office #48.

Como ser um tradutor freelancer, afinal?

Descobri que existem elementos que aceleram a carreira de algumas pessoas que desejam trabalhar com tradução através da internet. Um deles é ter um site pessoal próprio. Então, criei meu site (www.luilobo.com) para expor meu trabalho, gerar credibilidade e atrair clientes.

Também descobri que existem INCONTÁVEIS sites de freelance jobs por aí. Chega até ser difícil saber em qual se dedicar. Selecionei a dedo quais seriam os sites de freelancing nos quais eu gastaria meu tempo, pois sei existem poucos que realmente são bons. Na época, escolhi um site chamado Elance, que eventualmente se tornou o Upwork.

Depois de alguns anos, eu já vivia como um tradutor freelancer integral, com vários clientes de longo prazo, contratos com empresas multinacionais, recebendo em dólares, euros e reais, além de fazer TUDO pela internet, de onde eu estiver.

Essas são as estatísticas do meu perfil do Upwork hoje em dia:

Caso queira dar uma olhada no meu perfil do Upwork, e só clicar aqui (você precisa estar cadastrado no site).

O site Tradutor Freelancer surgiu porque sei que existem muitas pessoas bilíngues que têm vontade de trabalhar com tradução online, mas não sabem por onde começar.

Então, quero falar o que deu e não deu certo para mim, e compartilhar dicas específicas para pessoas que querem trabalhar com tradução online. Quero que o conteúdo disponível aqui realmente ajude as pessoas a saberem como ser um tradutor freelancer na internet.

Afinal, qual é a vantagem de ser um tradutor freelancer?

Quantas vezes você deixou de viajar ou ir a um show porque seu chefe não te liberou? Pois é. Mas e se você pudesse ter clientes ao invés de chefes através de um negócio 100% online usando seu cérebro bilíngue?

O tradutor freelancer tem liberdade. Esse é o ponto. Você tem um job para entregar em 3 dias, mas acha que pode fazer em 2? Está afim de usar 2 dias para fazer um trabalho bem feito e tirar um dia de folga? Ou está afim de trabalhar 6 horas por dia durante três dias e entregar o trabalho com a mesma qualidade? It’s up to you.

Obedecendo os prazos que você combinou com seus clientes e mantendo uma qualidade alta de trabalho e profissionalismo, as possibilidades são quase infinitas.

Além disso, se você gosta de falar um idioma estrangeiro, essa é uma forma de manter contato profissional com esse idioma diariamente.

E vale a pena?

Absolutely! No momento, não consigo me imaginar fazendo outra coisa. Eu trabalho com clientes do mundo todo, com conteúdo variado e os dias de trabalho são muito diferentes uns dos outros. As desvantagens são contrabalanceadas (e superadas) pela liberdade física e financeira que esse tipo de trabalho me possibilita.

Você acha que pode se tornar um Tradutor Freelancer algum dia? Já trabalha com tradução online e quer dicas? É bilíngue e acha que pode ganhar uma grana extra com traduções? Quer conseguir jobs de tradução no Upwork? Me siga no FacebookInstagram e se inscreva para receber minha newsletter logo abaixo.

Talk to you soon, fellas 😉