O 3 problemas mais comuns dos Tradutores na internet


Tenho recebido diversas dúvidas de outros colegas tradutores através de email, da página do Tradutor Freelancer no Facebook ou através de comentários no YouTube. Ainda tenho muito o que aprender e não tenho pretensão de ser o “guru dos tradutores”, mas com a criação desse site eu pude reunir os principais problemas que os tradutores enfrentam ao tentarem conseguir clientes na internet e gostaria de compartilhar isso com você.

Vou listar os problemas usando ordem crescente de frequência.

Não sei onde conseguir clientes!

Esse é um problema enfrentado por profissionais que já são tradutores e talvez já tenham uma experiência trabalhando localmente em suas cidades, mas não conseguem obter clientes na internet.

Caso você esteja enfrentando esse problema no momento, a primeira coisa que eu gostaria de falar é: acalme-se! Não conheço tradutores que não tenham passado por isso. Passei muito por isso quando eu estava começando e passo por isso hoje em dia também, afinal, existem ciclos de alta e baixa no mercado de tradução.

Esses ciclos ficam mais evidentes ao se segmentar os diferentes nichos dentro do mercado (tradução de jogos, legendagem, tradução legal e etc.). O porquê ainda é um mistério para mim, mas durante alguns meses o mercado de tradução de jogos cai bruscamente e durante outros meses aumenta vertiginosamente. Apesar disso ser um padrão geral, não é uma regra.

Porém, talvez você esteja tentando conseguir clientes de tradução na internet justamente durante um período de baixa, o que faria isso parecer muito mais difícil do que realmente é. De fato, é difícil. Mas com a abundância de clientes isso pode ficar mais fácil.

Outro fator muito importante – e algo que vários tradutores experientes têm me falado – é que procurar jobs em sites errados gasta muito tempo.

Já falei em outro artigo que existem muitos sites de freelance jobs na internet, mas que nem todos são bons. Alguns sites simplesmente atraem poucos clientes e outros sites atraem uma boa quantidade de clientes de baixa qualidade (aqueles clientes que acham que são chefes dos freelancers contratados).

Então, se você está seguindo dicas de como ter um perfil bom, está se esforçando durante meses e mesmo assim não está conseguindo jobs, talvez o site que você escolheu não esteja te favorecendo.

Eu recomendo – principalmente para quem está começando – ter mais de uma fonte de jobs. A minha sugestão é tentar conseguir jobs no Upwork e no Proz ao mesmo tempo.

O Upwork é o site de onde tiro a maior parte dos meus clientes. O site atrai freelancers de todas as áreas e clientes do mundo todo. Já o Proz é especializado em jobs de tradução e interpretação.

Apesar de eu ver certos jobs sendo postados no Upwork e no Proz ao mesmo tempo, na maioria das vezes eles são postados somente no Upwork ou somente no Proz. Então, vale a pena ficar de olho nos dois.

De qualquer forma, a dica principal que eu gostaria de passar em relação a isso é: teste os sites. Para saber se um site de freelance jobs é bom, analise principalmente a periodicidade dos jobs e a qualidade dos clientes.

Minhas propostas não são escolhidas!

Esses sites de freelance jobs funcionam geralmente da seguinte forma. Os clientes postam um job de tradução, você analisa esse job e faz uma proposta contendo um valor e um prazo.

Uma coisa que tem que ficar bem clara é: a maioria das propostas não será aceita. Depende do job, mas quase sempre o cliente escolherá somente uma proposta dentre todas as propostas enviadas.

“200 propostas em 6 horas?!”

Alguns desses jobs recebem 200 propostas em algumas horas. Nesses casos, 199 propostas serão rejeitadas e apenas 1 será escolhida. Então, sim, muitos tradutores terão suas propostas rejeitadas.

A proposta é um elemento mal compreendido no mercado de tradução online. A maioria dos tradutores faz propostas muito iguais e, consequentemente, acabam caindo numa pilha de propostas idênticas.

Isso, na verdade, cria uma dificuldade adicional para os clientes. Esses clientes chegam nesses sites procurando um profissional que resolverá o problema, mas muitas vezes acabam recebendo centenas de propostas. E isso, no final das contas, acaba criando outro problema em vez de entregar uma solução para o cliente.

Mostre soluções para o cliente em vez de criar outro problema com sua proposta.

Dito isso, eu posso dizer que muitos clientes escolhem aquele tradutor que traz soluções para o job posting em vez de ficar falando infinitamente sobre seu histórico acadêmico e profissional. É claro que seu histórico acadêmico e profissional é algo bom de se mostrar. Mas mostrar seu interesse pelo job é algo que tende a chamar mais a atenção dos clientes.

Não consigo clientes diretos!

Vejo muitos tradutores reclamando disso em fóruns.

Já falei sobre a diferença entre clientes diretos e agências. A agência consegue um cliente que está precisando de tradução e contrata um tradutor para fazer essa tradução. Eu gosto de trabalhar com agências, mas nem todo mundo se adapta à longa cadeia de comunicação entre o tradutor e o cliente final que utilizará essa tradução.

Então, com o tempo, os clientes diretos acabaram se tornando algo procurado pelos tradutores, mesmo sem saberem como de fato encontra-los (afinal muitos desses clientes diretos em potencial acabam procurando as agências no final das contas).

Eu gosto muito de ter clientes diretos também. Tenho clientes diretos com os quais trabalho há mais de 4 anos. Mas de fato, eles são mais difíceis de serem encontrados na internet. Na verdade, é por isso que as agências existem, já que elas procuram tanto clientes que precisam de tradução quanto tradutores. E, com a internet, elas têm assumido muito mais um papel de intermediadoras do que prestadoras do serviço de tradução em si.

Vejo mais agências e outsourcers no Proz e mais clientes diretos no Upwork. Sugiro que, pelo menos no começo, você experimente trabalhar com os dois sites. Eu trabalho com esses dois tipos de cliente desde o começo e sempre gostei de manter essa mistura.

Você também enfrenta esses problemas?